10 fevereiro 2012

2

15 desafio blogueiras unidas"gente q fez e gente q faz a diferença"Princesa Isabel

1. Gente que fez a diferença. (PASSADO)






Princesa Isabel

Dona Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e Bourbon (Rio de Janeiro29 de julho de 1846 — Eu, França14 de novembro de1921), mais conhecida no Brasil como a princesa Isabel, foi a última princesa imperial do Brasil e regente do Império por três ocasiões, na qualidade de herdeira de seu pai, o imperadorDom Pedro II, e da imperatriz Dona Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias. Foi a terceirachefe de Estado e chefe de governo brasileira após sua avó D. Leopoldina e sua trisavó Dona Maria I. Foi cognominada a Redentora pois, quando regente do Império brasileiro, assinou a Lei Áurea, que aboliu definitivamente a escravidão no Brasil.
Após seu casamento com Gastão de Orléans, conde d'Eu, em 1864, ocorreu uma junção matrimonial entre a Casa de Bragança e a de Orléans, originando o nome Orléans e Bragança, que foi passado, exclusivamente, aos descendentes de Gastão de Orléans e D. Isabel. Também, por a mesma ter sido a herdeira do trono imperial brasileiro, os seusdescendentes - os Orléans e Bragança - são os atuais herdeiros da extinta coroa imperial do Brasil.
A princesa Isabel foi também a primeira senadora do Brasil, cargo a que tinha direito como herdeira do trono a partir dos 25 anos de idade, segundo a constituição imperial brasileira de 1824 - a primeira carta constitucional do Brasil.
Com a morte de seu pai, em 1891, tornou-se a chefe da Casa Imperial do Brasil e a primeira nalinha sucessória ao extinto trono imperial brasileiro, sendo considerada, de jureSua Majestade Imperial, Dona Isabel I, Imperatriz Constitucional e Defensora Perpétua do Brasil, conforme a constituição de 1824 - a primeira constituição do Brasil

Postura política

Liberal, a princesa uniu-se aos partidários da abolição da escravidão. Apoiou jovens políticos e artistas, embora muitos dos chamados abolicionistas estivessem aliados ao incipiente movimento republicano. Financiava a alforria de ex-escravos com seu próprio dinheiro e apoiava a comunidade do Quilombo do Leblon, que cultivava camélias brancas, símbolo do abolicionismo. Chegava mesmo a receber fugitivos em sua residência em Petrópolis:
"A Princesa Isabel também protegia fugitivos em Petrópolis. Temos sobre isso o testemunho insuspeito do grande abolicionista André Rebouças, que tudo registrava em sua caderneta implacável. Só assim podemos saber hoje, com dados precisos, que no dia 4 de maio de 1888, “almoçaram no Palácio Imperial 14 africanos fugidos das Fazendas circunvizinhas de Petrópolis”. E mais: todo o esquema de promoção de fugas e alojamento de escravos foi montado pela própria Princesa Isabel. André Rebouças sabia de tudo porque estava comprometido com o esquema. O proprietário do Hotel Bragança, onde André Rebouças se hospedava, também estava comprometido até o pescoço, chegando a esconder 30 fugitivos em sua fazenda, nos arredores da cidade. O advogado Marcos Fioravanti era outro envolvido, sendo uma espécie de coordenador geral das fugas. Não faltava ao esquema nem mesmo o apoio de importantes damas da corte, como Madame Avelar e Cecília, condessa da Estrela, companheiras fiéis de Isabel e também abolicionistas da gema. Às vésperas da Abolição final, conforme anotou Rebouças, já subiam a mais de mil os fugitivos “acolhidos” e “hospedados” sob os auspícios de Dona Isabel.
 Em 13 de maio de 1888, num domingo, aconteceram as últimas votações de um projeto de abolição total. Certa da vitória, a regente desceu de Petrópolis, cidade serrana, para aguardar no Paço Imperial o momento de assinar a Lei Áurea. Usou uma pena de ouro especialmente confeccionada para a ocasião, recebendo a aclamação do povo do Rio de Janeiro. O Jornal da Tarde, de 15 de maio de 1888, noticiou que "o povo que se aglomerava em frente do Paço, ao saber que já estava sancionada a grande Lei, chamou Sua Alteza, que aparecendo à janela, foi saudada por estrepitosos vivas." As galerias do Paço estavam repletas, e sob vivas e aplausos de uma multidão estimada em 10 mil pessoas, Isabel sancionou a Lei aprovada pelo Parlamento do Império. O jornalista mulato José do Patrocínio, aliado da Coroa, invadiu o recinto sem que ninguém conseguisse detê-lo e atirou-se aos pés da Princesa Regente em prantos de gratidão. Isabel dava provas, de que seu reino era, sim, deste mundo, contrariando a ironia do conselheiro Saraiva que afirmara justamente o contrário, zombando do sentimento profundamente cristão de Isabel . A história há de fazer sempre justiça à "Princesa Redentora", título que lhe atribuiu José do Patrocínio, pois ela demonstrou no processo abolicionista firmeza, coragem e, sobretudo, nobre desapego ao cargo, o qual - lhe preveniram - haveria de ser dela tomado pela reação inevitável dos altos e egoísticos interesses escravocratas contrariados, tudo conforme relata o livro Dom Pedro II e a Princesa Isabel, da Editora Lorenz, onde consta memorável testemunho do nobre abolicionista Joaquim Nabuco: " No dia em que a Princesa Imperial se decidiu ao seu grande golpe de humanidade, sabia tudo o que arriscava. A raça que ia libertar não tinha para lhe dar senão o seu sangue, e ela não o queria nunca para cimentar o trono de seu filho. A classe proprietária ameaçava passar-se toda para a República, seu pai parecia estar moribundo em Milão, era provável a mudança de reino durante a crise , e ela não hesitou: uma voz interior disse-lhe que um grande dever tem que ser cumprido, ou um grande sacrifício que ser aceito. Se a Monarquia pudesse sobreviver à abolição, esta seria o apanágio. Se sucumbisse, seria o seu testamento..."
Para ser sincera aki é só um resumo mas o bem q ela fez a humanidade foi tão importante !!
a lei áurea  esta lei foi uma das mais importantes da humanidade...

A princesa em seu ultimo ano de vida
Ficheiro:Princesa Dona Isabel. do Brasil.1.jpg
Familia imperial na casa da princesa Isabel em 1887
Ficheiro:Família Imperial por Otto Hees.jpg
Lei Áurea
Ficheiro:Lei Áurea.jpg

Desafio lindo amei de verdade conheci e li sobre algo tão importante




2. Gente que faz a diferença. (PRESENTE)



Ayrton Senna




Mesmo após a sua morte ele continua ajudando muito as pessoas ...
o seu instituto"Instituto Ayrton Senna"



09/01/2012
Instituto Ayrton Senna ajuda a melhorar qualidade da educação em Jaguariúna

A parceria do Instituto Ayrton Senna com a Secretaria de Educação de Jaguariúna tem melhorado a qualidade da educação pública na cidade do interior paulista. A titular da pasta no município, Cássia Murer Montagner, comemora a evolução e atribui o sucesso ao método de ensino diferenciado e às classes de aceleração.

“Hoje temos apenas 3,62% de retenção (reprovação), contra 11,43% registrados em 2007”, afirma, em entrevista ao site da prefeitura de Jaguariúna.

“Esse trabalho envolve todas as categorias profissionais, é claro, mas merece destaque a atuação dos professores em sala de aula e de profissionais especializados como psicopedagogas, psicólogas, fonoaudiólogas e terapeuta ocupacional, que estão disponíveis na rede municipal de ensino”, explica a secretária.

O Instituto Ayrton Senna conta com dois programas de correção do fluxo escolar aplicados na cidade de Jaguariúna: Acelera Brasil e Se Liga.




Pelo q li para a população de jaguariúna é muito bom o instituto pq fornece ajuda escolar e social para q as pessoas sejam pessoas estudadas e bem informadas afinal sabemos q os estudos são muito importantes e eles mostram lá q á oportunidade de recomeçar sempre ñ importa se vc parou os estudos é só recomeçar...






bjokas
© blog jac pires - 2016. Todos os direitos reservados.
DESIGN E PROGRAMAÇÃO por: MUNDO PINK DESIGN.
imagem-logo